Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Minhas Poesias - Daniele Garcia

Minhas Poesias Daniele Garcia (Migrassom) Somos como o sangue, Que é quente enquanto corre, E nunca no mesmo lugar Que são tantas as veias O Poema e as Coisas O poema é uma coisa De onde se tiram coisas E das coisas De onde se tira o poema Surgem novas coisas Novos poemas E mais tempo Para limpar as coisas e os poemas E mais poemas Para limpar as coisas e o tempo. É... Cada boca é um jato Que se apoia na ponta de um lápis E ganha força E distância no tempo. Cada folha uma cadeira. Cada cabeça uma dispensa. E também no fundo Todas são a mesma coisa. DMG - 19/10/2008 - 01h 58min (H.Verão) CIRCUNS-TEMPO DG, 2006 A CLAUSURA DA ALMA MORA NO IMPOSTO COMPOSTO DE DOR E PERDA PERDE QUEM IMPÕE POSTO PERDE QUEM IMPÕE PENA SE JÁ PERDE QUEM VOS DEIXA PERDE MAIS VIDA DESLEIXA AO QUE SE PROPÕE NÃO FARÁ DEIXA AO LÉU A AURA ESPREITA LARGA, TOMBA, DEIXA ASAS CORTA FORA E AQUI SE DEIXA VAI LEVANTE, CORTA POEIRA CO